sexta-feira, 31 de agosto de 2012

A ESTRELA E A CRUZ - 1960

HAND IN HAND
Direção : Philip Leacock








Formato : AVI
Fonte : DVDRip
Tamanho : 720 mb
Duração : 87 min.
Video: XVID 640x384 23.98fps 1205Kbps
Audio: MPEG Audio Layer 3 48000Hz mono 125Kbps
Dimensão : 640 x 384
Servidor : vários hosts com protector links
Links : 4 partes
Legendas : incluidas na pasta
Ano : 1960( UK )/1961( USA )
Direção : Philip Leacock
Produção : Helen Winston
História : Sidney Harmon
Roteiro : Diana Morgan
Música : Stanley Black
Fotografia : Freddie Young
Edição : Peter Tanner


****************************************


LINKS OFF


******************************************


 
SINOPSE

Duas crianças de sete anos e meio começam uma bela amizade, apesar
das diferenças religiosas de ambas famílias.
Ao tomarem conhecimento que poderiam ser separados um do outro por
conta das duas religiões, o menino Michael, católico e a menina
Rachel, judia, imitam um ritual que viram na TV sobre índios que
se tornam irmãos de sangue.
Assim acreditam que ninguem poderá impedir que fiquem juntos e para
testarem o poder contra Deus, eles vão ambos à Sinagoga e à Igreja
para ver se seriam castigados.
Caso tudo corresse bem, eles comprovariam que nada poderia impedir
a amizade profunda que um sentia pelo outro e fariam tudo o que
quisessem sem ter mais medo de punição.



COMENTÁRIOS

Este filme foi para mim, o mais importante de tudo que vi na minha
infância, fiquei tão envolvido pela atuação das duas crianças que
acreditei que ambos existiam de verdade e desejei ser amigo da
Rachel ( a atriz LORETTA PARRY ), que me encantou profundamente.
Fui em todas as sessões do cinema, assisti seguidamente e sempre
fascinado com cada cena desta obra-prima do diretor Philip Leacock.
Hand in Hand ganhou o Golden Globe pelo Juri Especial e foi tido
como um dos mais belos conteúdos do universo infantil.
A performance de LORETTA PARRY( Rachel )e de PHILLIP NEEDS(Michael),
chega impressionar pela perfeição com que atuam e passam um imenso
realismo aos seus personagens.


LORETTA PARRY um dos rostos mais angelicais que vi no cinema,
encerrou sua carreira em 1964 na série THE HIDDEN TRUTH, para
a tristeza de muitos fans que sempre a idolatraram como a mais
bela princesa da sétima arte.


PHILIP NEEDS só apareceu em HAND IN HAND e mais 4 séries de TV.
Pouco se sabe sobre seu paradeiro, a não ser que continuou
trabalhando nos bastidores da TV Britânica, sem nunca mais atuar.

Aliás, PHILIP LEACOCK sempre foi um hábil diretor com crianças e um
de seus filmes mais famosos, THE KIDNAPPERS de 1953 proporcionou 2
Oscars especiais da Academia, para os atores mirins JON WHITELEY e
VINCENT WINTER por suas atuações irretocáveis.


os atores mirins de THE KIDNAPPERS de 1953 premiados com OSCAR
especial da Academia. VINCENT WINTER na época com 5 anos, foi
o mais jovem a receber a estátua, na história do cinema.

LEACOCK trabalhou muito também com séries de TV, dirigindo vários
episódios da série THE WALTONS, BONANZA, ROUTE 66, GUNSMOKE entre
tantos, mas seus filmes lhe renderam boas indicações e premios.


PHILIP LEACOCK foi um mestre na arte de dirigir atores mirins,
como fez em filmes premiados como INNOCENTS SINNERS(no qual LORETTA
PARRY faz uma ponta sem créditos)de 1958, THE RABBIT TRAP de 59,
THE KIDNAPPERS de 53 e LIFE IN HER HANDS de 51, seu primeiro longa
com a atriz KATHLEEN BYRON, que faz a mãe de Michael em HAND IN HAND.

Curiosamente, tanto PHILIP NEEDS como LORETTA PARRY não seguiram
carreira, apesar de mostrarem enorme potencial. Eles atuaram juntos
num episódio da série THE SAINT chamado: "The Charitable Countess"
(1962) e cada um participou de mais algumas séries, em papel menor.


LORETTA PARRY numa cena do episódio de THE SAINT, no papel de
Angelina, em 1962, que foi sua primeira atuação para TV

LORETTA PARRY ainda faria parte do elenco de um especial apresentado
pelo próprio WALT DISNEY "The Horse Without a Head" no papel de Melie.
Recentemente ela deu sinal de vida, respondendo à inúmeras mensagens
de fans do filme HAND IN HAND, informando que abandonou a carreira no
cinema e se dedicou à família, vindo a se casar e hoje avó de 3 netos.
Ela se disse encantada com a forma como até hoje, as pessoas ainda
veneram sua atuação como Rachel e eu recebi dela um agradecimento bem
especial como de sua filha mais nova, que ficou emocionada com as
palavras que expressei de como LORETTA tocou meu coração, quando tinha
a mesma idade de seu personagem. Lembro que desde então, ia para meu
colégio, embuido de respeito à todas crianças, jamais aceitando que
fizessem pouco de quem quer que fosse e me tornando um menino bem mais
humano. Minha adoração por ela foi tão grande que pedi à minha tia que
iria ainda em 1960, visitar parentes da família que viviam em Londres,
para entregar uma carta que ditei e que minha tia encaminharia para a
COLUMBIA UK.
Achei que talvez não desse em nada, mas no ano de 1962, eu recebi uma
foto autografada dela, que me deixou numa imensa felicidade. A foto,
é claro, foi mandado por executivos da COLUMBIA, sem o conhecimento
dela, mas pouco importava, fiquei exultante e emocionado.
HAND IN HAND foi exibido no Brasil no ano de 1960, antes mesmo de nos
Estados Unidos, mas nunca passou nas TVs ou editado para VHS ou DVD.
Minha mais intensa recomendação que assistam esse clássico e caso seja
possível, mostre para seus filhos ou irmãos pequenos.
É um belo conto de amor fraternal e sincero, um realismo impressionante
e o mais fiel retrato do universo infantil como ele é de verdade.



Uma pequena observação: sei bem que essa história não tem vínculo com a especialidade do CINE SPACE MONSTER, mas quero registrar que foi um dos meus 5 filmes favoritos de todos os tempos e achei que eu deveria postar devido ao sentimento que carrego e levarei comigo pela sensibilidade com que LORETTA PARRY e PHILIP NEEDS transmitiram em minha infância, um ato de amor que ficará para sempre em mim.





ELENCO

Loretta Parry - Rachel Mathias
Philip Needs - Michael O'Malley
Kathleen Byron - Mrs. O'Malley
Finlay Currie - Mr. Pritchard
Arnold Diamond - Mr. Mathias
Denis Gilmore - Tom
John Gregson - Father Timothy
Barbara Hicks - Miss Roberts
Miriam Karlin - Mrs. Mathias
Barry Keegan - Mr. O'Malley
Martin Lawrence - The Cantor


SCREENSHOTS



















HAND IN HAND




quinta-feira, 30 de agosto de 2012

OS VISITANTES DA NOITE - 1942

LES VISITEURS DU SOIR
Direção : Marcel Carné









Formato : AVI
Fonte : DVDRip
Tamanho : 700 mb
Duração : 120 min
Servidor : 4 hosts diferentes
Links : 4 partes
Video: XVID 528x384 25.00fps 743Kbps
Audio: MPEG Audio Layer 3 32000Hz stereo 96Kbps
Ano : 1942
Direção : Marcel Carné
Produção : André Paulvé
Fotografia : Roger Hubert
Roteiro : Jacques Prévert
Roteiro : Pierre Laroche
Música : Maurice Thiriet
Condução : Charles Munch
Música Adicional : Joseph Kosma
Direção de Arte/Make-Ups : Alexandre Trauner
Edição de Roteiro : Marcel Carné



Links off


SINOPSE :

Um casal de demônios é enviado à Terra por Satã como dois menestréis, em plena Idade Média, para semear a infelicidade e a destruição.Entretanto um dos espíritos malignos apaixona-se por Anne, a filha do barão Hugues, a quem ele deveria apenas trazer tormentos e infortúnio.Depois, o próprio diabo aparece para impedir este amor.
O filme, realizado na época do domínio dos nazistas na França, é uma poética alegoria política.



COMENTÁRIOS :

Esse é um clássico imperdivel, para mim, um dos mais eficientes filmes do cinema fantástico dirigido pelo magistral Marcel Carné do premiado e conceituado BOULEVARD DO CRIME 1945, apontado como um dos mais importantes longas da história do cinema.
LES VISITEURS DU SOIR foi rodado debaixo de uma manta sombria sobre a França.
É que a cidade de Paris estava ocupada pelos Nazistas, o que obrigou toda equipe de MARCEL CARNÉ, a se deslocar ao sul de Vichy(que acabou sendo ocupada em Novembro de 42) para rodar o filme e só puderam realizar graças a um romance entre a atriz ARLETTY e um oficial nazista. Esse romance acabou por trazer uma grave consequência para a diva do cinema francês, que foi julgada por crime de guerra,prêsa e exilada por 3 anos. Ao comentar sobre o fato, ARLETTY declarou que seu amor à patria não se relacionava com o amor de seu coração.
Esta obra-prima de MARCEL CARNÉ, esboça uma alegoria à invasão da França, em maio de 1940 pelos nazistas, simbolizado pelo demônio que subjugava o destinos dos franceses a seu critério.


Marcel Carné o primeiro à esquerda, Jacques Prévert no centro de chapéu e o par romântico, os atores MARIE DÉA e ALAIN CUNY ao seu lado.

Destaque para o veterano ator JULES BERRY no papel do LE DIABLE, com uma atuação marcante e expressiva. A cena em que ele se põe atrás do anfitrião BARÃO HUGUES e o noivo de sua filha, o BARÃO RENAUD, como se tivesse transmitindo o ódio que os dois sentem um pelo outro, disputando o amor de DOMINIQUE, filha do demônio e também sua reação aos risos gratuitos da côrte ao simples fato dele dar uma sonora gargalhada diante de sua trapaça montada, é de um poder teatral incomparável. JULES participou do cinema francês desde os tempos do cinema-mudo de lá e era um dos atores favoritos de MARCEL CARNÉ, JACQUES PRÉVERT e ARLETTY.


um dos mais talentosos e criativos atores francêses de seu tempo, JULES BERRY.

Outra cena memorável é extraido pelo diretor Marcel Carné ao explorar os olhos melancólicos da Princesa ANNE que negocia com LE DIABLE, para que seu amado,GILLES tenha sua alma ainda aprisionada pelo demônio, libertada e assim,sem memória ele não a reconhece. O olhar que expressa dôr da perda e a certeza de que a maldição não mais se apodera do jovem menestrel, na cena silenciosa interpretada pela atriz MARIE DÉA, fala mais do que mil palavras e contagia o público com a profundidade da emoção.
Recomendado para todos os gostos, uma aula de cinema e fantasia.
Ainda sobre ARLETTY, sua vida alternou glória e tragédia culminando com um acidente que a deixou quase totalmente cega em 63, encerrando sua carreira brilhante prematuramente. Mas para mim, nenhuma atriz conseguiu impôr tamanho magnetismo e presença como ela, com seu sorriso de Mona Lisa, olhar de Esfinge e expressão dominadora e sábia, um mistério feminino que arrebatava corações e colecionava paixões. Ela, todavia, passou por grande amargura, já que após LES VISITEURS DU SOIR foi acusada de traição e levada ao campo de concentração de DRANCY e depois à prisão em FRESNES, em seguida ficando dois anos em prisão domiciliar, não sendo convidada a estar presente na pré-estréia do magnífico BOULERVARD DO CRIME (LES ENFANTS DU PARADIS)em MARÇO de 45. Em seu último papel antes do acidente que lhe tirou a visão, ARLETTY fez o papel de Madame Barrault no premiado pelo OSCAR, O MAIS LONGO DOS DIAS de 1962.


ARLETTY é minha musa francêsa, um dos ícones do cinema em todos os tempos, que jamais será superada por nenhum outro nome da sétima arte.


Outro ponto interessante é a participação da então jovem Simone Signoret numa ponta como figurante, bem antes de se tornar uma das mais importantes atrizes francesas, aliás a primeira atriz desse país a receber um Oscar da Academia pelo filme ROOM AT THE TOP dirigido por Jack Clayton( OS INOCENTES, TODAS AS NOITE ÀS NOVE) como atriz principal em 1959, além da indicação para o excelente A NAU DOS INSESATOS de Stanley Kramer. LES VISITEURS DU SOIR foi a segunda vez que SIMONE SIGNORET aparece nas telas de cinema, sem créditos e sem roteiro, apenas figurando em algumas cenas do filme.

Simone Signoret com apenas 20 anos esta sentada na mesa do banquete no círculo em destaque

Necessária reupagem que fiz de um dos mais belos exemplos do autêntico cinema fantástico, com efeitos de fotografia eficientes para aquela época. As legendas tiveram uma preciosa revisão e correção cirúrgica do amigo Stirner, o que foi essencial para completar o trabalho.




ELENCO:

Arletty - Dominique
Jules Berry - Le diable
Marie Déa - Anne
Fernand Ledoux - Barão Hugues
Alain Cuny - Gilles
Pierre Labry - Conselheiro
Jean d'Yd - Saltimbanco
Roger Blin - Mestre dos Monstros
Gabriel Gabrio - Carrasco
Marcel Herrand - Barão Renaud
Simone Signoret - figurante


                                                                  SCREENSHOTS




















LES VISITEURS DU SOIR


terça-feira, 28 de agosto de 2012

THE RAVEN - O CORVO - 1935


SINOPSE:


Um dos mais bizarros filmes de terror dos anos 30. A história de um neurocirurgião (Lugosi) obcecado com os mecanismos de tortura descritos nas histórias de Edgar Allan Poe. Constrói réplicas deles e pretende utilizá-los para se vingar do pai da rapariga por quem está apaixonado, depois de este lhe ter recusado a mão da filha. Karloff e Lugosi, os “monstros da Universal”, são as estrelas deste filme sobre monstruosidades do espírito





Formato: Avi / DVDRip
Tamanho: 700MB
Duração: 56 minutos
Idioma: Inglês
Legendas: Português (srt) na pasta Sincronia por carlosm42

Tradução das legendas por INTRUDER

LINKS EM 2 PARTES 4shared ultima parte rapidshare


senha p/descompactar
www.cinespacemonster.blogspot.com








domingo, 26 de agosto de 2012

DARBY O'GILL E OS LEPRECHAUNS

DARBY O'GILL AND THE LITTLE PEOPLE

Direção : Robert Stevenson




Formato : AVI
Fonte : DVDRip
Tamanho : 700 mb
Duração : 90 min.
Video: DivX 5 720x528 23.98fps 988Kbps
Audio: MPEG Audio Layer 3 48000Hz stereo 80Kbps
Servidor : Vários
Links : 4 partes
Legendas : incluidas na pasta
Tradução : Aine Barbieri
Upload and Sincronia : Cartwright
Direção : Robert Stevenson
Produção : Walt Disney
História : Lawrence Edward Watkin
Baseado no livro de H.T. Kavanagh
Fotografia : Winton C. Hoch
Música : Oliver Wallace/Lawrence Edward Watkin
Efeitos Especiais : Peter Ellenshaw/Eustace Lycett
Efeitos Visuais : Joshua Meador

                



 SINOPSE

Darby O'Gill é um tradicional e popular velho irlandes que trabalha como zelador das propriedades de Lord Fitzpatrick mas devido à sua avançada idade, seu patrão resolve substituí-lo por um jovem que possa dedicar seu tempo na vigília de caçadores clandestinos que atacam de noite, enquando o velho Darby frequenta o bar da vila, contando suas aventuras com os Leprechauns e a constante luta de esperteza contra o rei Brian, líder dos duendes que pode conceder 3 desejos a quem capturá-lo.
Ambos usam de artimanhas para conseguir trapacear um ao outro, o que desperta a criatura da morte Banshee e sua carruagem das almas.


 COMENTÁRIOS

WALT DISNEY nunca negou sua grande admiração pelos contos irlandeses e o folclore local sobre os duendes e outro personagens que habitam os livros desse país.
Para tanto, ele levou sua equipe de produção até à Irlanda, logo após o final da 2ª Guerra em 47 e traçou os planos para as filmagens de um roteiro baseado no livro de Herminone Templeton Kavanagh escrito em 1903, uma coleção de histórias chamadas de "Darbie O'Gill and the Good People".
Todavia os arranjos da produção acabou atrasando e muito, o projeto só vindo a ficar pronto em 59, sendo que o ator escolhido para o papel principal teria sido o irlandes BARRY FITZGERALD,(juiz no filme "AND THEN THERE WERE NONE"baseado no livro de AGATHA CHRISTIE). Mas o ator recusou o papel(aliás o plano era que ele fizesse Darby e o Rei Brian simultaneamente), por achar que sua idade estava avançada demais para o personagem.Curiosamente ele veio a falecer 2 anos depois em Dublin.

 famoso ator irlandes BARRY FITZGERALD, vencedor do OSCAR ator
coadjuvante em 44 no filme GOING MY WAY

Para seu lugar o premiado ALBERT SHARPE foi convidado, já que DISNEY sempre imaginou ele para interpretar Darby, desde que viu sua atuação em FINIAN'S RAINBOW na BROADWAY em 47.
Interessante notar que SHARPE era bem mais velho que BARRY FITZGERALD.
Para aparentar que ele tocava violino, o diretor ROBERT STEVENSON convidou 2 exímios músicos que colocavam seus braços(um segurando o violino e outro usando a vareta) nos closes com o ator, num truque simples e eficiente.

 Famoso ator irlandes vindo da Abbey Players e que ficou famoso
na Broadaway com a peça FINLAY'S RAINBOW, depois adaptado nos cinemas
com FRED ASTAIRE no papel principal

 A filha de Darby foi interpretada pela menina dos olhos da DISNEY, JANET MUNRO(conhecida do público sci-fi pelo filme THE CRAWLING EYE e THE DAY EARTH CAUGHT FIRE)que atuaria em outras produções como A CIDADELA DOS ROBINSON, THE THIRD MAN ON THE MOUNTAIN. Eu já comentei aqui sobre seu fim trágico após um acidente de carro em que seu rosto foi cortado por vário estilhaços ficando deformado e JANET veio a falecer com 38 anos por um supôsto suicídio de overdose, enquanto enfrentava seu grave problema de alcoolismo.
O galã do filme foi a primeira oportunidade do ator escocês SEAN CONNERY num papel de destaque, em que inclusive cantava(apesar dos boatos de que sua voz tinha sido dublada pelo tenor BRENDAN O'DOWDA, mas desmentido após o lançamento do disco LP e single da trilha sonora e da música "Pretty Irish Girl", um hit que vendeu milhares de cópias, só sendo superado pela trilha de TOM THUMB de GEORGE PAL no ano anterior.

 o par romântico do filme traria à carreira de SEAN CONNERY uma
característica inédita de cantor, que ele nunca mais repetiu.

capa do LP e o label com a canção PRETTY IRISH GIRL

 O fato é o que o produtor ALBERT R.BROCCOLI aconselhado por sua espôsa, encantada com o estilo e aparencia do ator, convidou SEAN CONNERY durante a pré-estréia de DARBY O'GILL AND THE LITTLE PEOPLE, para um teste em um projeto chamado THE SATANIC DR.NO(que seria o primeiro filme da saga JAMES BOND)e então sua carreira se tornou célebre até os dias de hoje.Aliás, SEAN CONNERY é o único ator vivo do cast deste filme da DISNEY, após a morte de KIERON MOORE(THE DAY OF TRIFFIDS)em 2007.

 o primeiro filme da saga JAMES BOND em 62, que não levava o
nome JAMES BOND 007 no título, marcou definitivamente a carreira de
SEAN CONNERY. Neste filme ele contracenava com a musa URSULA ANDRESS

O diretor ROBERT STEVENSON contou com uma equipe de altíssimo nível para a criação dos efeitos de fotografia e visual. Uma trucagem muito bem elaborada de angulação tornou a relação entre os duendes e o ator ALBERT SHARPE absolutamente perfeita, com sombra, olhar direto um no outro, troca de posições e outras estratégias.

 os olhos dos atores estão proporcionalmente perfeitos um para
o outro

ponto de referencia angular para a posição dos atores

projeção dos atores para cenas conjugadas

Isso foi feito sem qualquer recurso que hoje é possível com CGI e realismo virtual. O resultado é acima da média e apesar da polêmica reação de crianças no cinema com a aparição de personagens folcloricos irlandeses como a BANSHEE sempre penteando seu longo cabelo e a "cóiste bodhar"(carruagem da morte), as cenas apresentam todo o talento em efeitos visuais da equipe DISNEY, liderada por JOSHUA MEADOR (Oscar em 20.000 LEAGUES UNDER THE SEA de 1954),como na fotografia com PETER ELLENSHAW (Oscar em MARY POPPINS de 64)e EUSTACE LYCETT (Oscar em MARY POPPINS de 64 e BEDKNOBS AND BROOMSTICKS de 71)

 planejamento para efeitos de fotografia com ALBERT SHARPE e os
duendes

2 versões em DVD foram lançadas, uma com as expressões típicas da lingua irlandesa(que a maioria do público americano não conseguia entender) e outra com a versão alterada que substituia essas expressões idiomáticas originais.

 capa do DVD original

 capas dos comics e uma página da publicação a cores

Na versão para TV os atores ALBERT SHARPE e JIMMI O'DEA contracenam com PAT O'BRIAN(os três eram irlandeses) e o próprio WALT DISNEY.
Segue abaixo o episódio na íntegra via YOUTUBE em inglês.




foto-divulgação do episódio 125 de DISNEYLAND com PAT O'BRIAN,
JIMMY O'DEA e WALT DISNEY

 capa e páginas da famosa WALT DISNEY MAGAZINE 1959 dedicada ao filme

Um dos mais belos tesouros produzidos pelo mundo encantado de WALT DISNEY e um raro filme do cinema fantástico, com legendas traduzidas por Aine Barbieri, num trabalho excelente principalmente com relação às expressões irlandesas típicas do país.
A sincronia me deu algum trabalho mas valeu a pena poder compartilhar no CINESPACEMONSTER essa obra-prima da literatura transportado para a magia do cinema.




ELENCO

Albert Sharpe - Darby O'Gill

Janet Munro - Katie O'Gill

Sean Connery - Michael McBride

Jimmy O'Dea - King Brian

Kieron Moore - Pony Sugrue

Estelle Winwood - Sheelah Sugrue

Walter Fitzgerald - Lord Fitzpatrick

Denis O'Dea - Father Murphy

J.G. Devlin - Tom Kerrigan

Jack MacGowran - Phadrig Oge



 SCREENSHOTS





DARBY O'GILL AND THE LITTLE PEOPLE