quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

BATTLE IN OUTER SPACE aka UCHU DAISENSO aka MUNDOS EM GUERRA - 1959

postado primeiramente em 19/12/2010
SINOPSE:

Depois de uma série de inesplicaveis e devastadores incidentes no Japão, Italia e Panama, o Centro de Pesquisas Espaciais , descobriu que uma raça de extra terrestres muito agressiva chamada de The Natal , estão operando apartir do lado escuro da Lua, com ordens de controlarem a Terra.
As Nações Unidas organizam um contra ataque contra os invasores, causando severos danos a base lunar dos alienigenas. De volta a Terra todas as nações do mundo se preparam para aquela, que sera a batalha decisiva, e também a maior batalha no espaço que já se ouviu falar em toda a Galáxia.


Battle in outer Space foi distribuido na América pela "Columbia Pictures" e sua estréia foi em 8 de julho de 1960 em Nova York, e foi lançado junto nos cinemas com o filme de David Bradley "12 to the Moon".
No Japão foi lançado com o nome "A Grande Batalha Espacial - Uchu Daisenso", produzido pela Toho Studios em 1959, e foi uma continuação do filme de 1957 "The Mysterians", que voce também pode conferir aqui no Space Monster aqui o link para a 1ª parte The Mysterians http://www.cinespacemonster.blogspot.com.br/2012/12/the-mysterians-1957.html


Formato: Avi/DVDRip
Tamanho: 925MB
Duração:  90 minutos
Idioma: Japonês
Legendas: Português por RAFAELLO
País: Japão

UPLOAD FEITO PELO AMIGO COLABORADOR ALBERTO AVELINO
Link único mega:


Legendas:


ATENÇÃO PARA FACILITAR O DOWNLOAD PELO MEGA USE O GERENCIADOR DE DOWNLOADS JDOWNLOADER GRATUITO, MAS ATENÇÃO SÓ IRA FUNCIONAR COM ESTES LINKS DEPOIS QUE VOCÊ ATUALIZAR O SEU JDOWNLOADER


DEPOIS DE BAIXAR O JDOWNLOADER NÃO ESQUEÇAM DE ATUALIZAR



Direção : Ishiro Honda


Produzido por  Tomoyuki Tanaka


Escrito por Jojiro Okami  e Shinichi Sekizawa
Music - Akira Ifukube

Visual Effects Production Design - Akira Watanabe

ELENCO

Dr. Ichiro Katsumiya - Ryo Ikebe
Etsuko Shiraishi - Kyoko Anzai
Yuichi Iwamura - Yoshio Tsuchiya
Commander of the Self-Defense Forces - Minoru Takada
Kogure (Engineer), SPIP-1 Crew - Hisaya Ito
Dr. Kenjiro Adachi - Koreya Senda
Dr. Roger Richardson - Leonard Stanford
Dr. Immelmann - Harold S. Conway
Dr. Ahmed - George Wyman
Silvia - Elise Richter
Okada, SPIP-1 Crew - Nadao Kirino
Captain of Space Fighter Squadron - Kozo Nomura
Inspector Ariake, Secret Service - Fuyuki Murakami
Railroad Track Inspector - Ikio Sawamura
Lieutenant General - Jiro Kumagai
Maritime Self Defense Forces General - Katsumi Tezuka
Air Self Defense Forces General - Mitsuo Tsuda
Adjutant - Tadashi Okabe
Lieutenant Pearce, SPIP-1 Crew - Malcolm Pearce
Araki, SPIP-1 Crew - Yasuo Araki
Welch, SPIP-1 Crew - Leonard Welch
Sato, SPIP-2 Crew - Koichi Sato
SPIP-2 Crew - Rinsaku Ogata
SPIP-2 Crew - Osman Yusef
SPIP-2 Crew - Heinz Bodmer
SPIP-2 Crew - Yutaka Oka
JSS-3 Communications Officer - Kisao Hatamochi
JSS-3 Crewmember - Yukihiko Gondo
JSS-3 Crewmember - Yoshiyuki Uemura
U.S. Army General - Ed Keane
Mrs. Richardson - Dona Carlson
Science Center Engineer - Shiniro Hirota
Tokaido Express Train Engineer - Yasuhisa Tsutsumi
Tokaido Express Train Assistant Engineer - Shigeo Kato



























SCREENSHOTS

domingo, 10 de fevereiro de 2013

JOURNEY TO THE CENTER OF TIME - 1967



SINOPSE:

O Sr. Stanton, após se tornar o novo chefe de uma fundação de pesquisas científicas, que tinha como projeto uma máquina para viajar no tempo, começa a exigir de seus subordinados pressa para apresentar resultados. Acaba conseguindo um acidente que causa um paradoxo e, como consequência, ele é transportado no tempo em uma viagem através das eras que poderá ter efeitos catastróficos para ele e a humanidade.





Formato: Avi / DVDRip
Tamanho: 500MB
Duração: 82 minutos
Idioma: Inglês
Legendas: Português ( fixas )


Link único 4 shared:


Agradecimentos ao nosso amigo colaborador Alberto Avelino pelo upload e link desta perola Sci Fi







COMENTÁRIOS
Por Juvenatrix para o site Boca do Inferno


Ao longo da evolução do Homem, o tempo vem sendo medido pela jornada do planeta ao redor da escuridão do espaço. Cientistas usaram nosso sistema solar e nomearam vastas regiões do Universo como gigantes dispositivos do tempo. O tempo é equivalente, em névoa e distância, a nossa própria galáxia. A névoa às vezes se dissipa daquelas mentes mostrando a natureza real do próprio tempo. E dois significados de tempo são revelados. Tempo, da criação até hoje, mostrando todos os ontens tão fortemente quanto amanhãs que estendem-se pela eternidade. Um dia, os Homens encontrarão o equilíbrio entre essas duasforças. O passado e o futuro. Então o Homem poderá fazer uma fantástica Jornada ao Centro do Tempo.

Jornada ao Centro do Tempo” (Journey to the Center of Time, EUA, 1967) é um daqueles filmes divertidos de ficção científica com uma produção de baixo orçamento, e que era exibido na saudosa “Sessão da Tarde” da TV Globo, há muito, muito tempo atrás, junto com outras pérolas do cinema fantástico como “Destino: Lua” (1951), “Viagem Fantástica” (1966), “Robur, o Conquistador do Mundo” (1961), “Viagem ao Centro da Terra” (1959) e outros. Foi lançado em 2007 em DVD no Brasil pela “NFK Filmes” (já difícil de encontrar), e também é conhecido pelo título “Viagem ao Núcleo do Tempo” nas exibições na televisão.
Um empresário milionário e sem escrúpulos, Stanton Junior (Scott Brady, de “Viagem Rumo ao Infinito”, 1966), acaba de herdar as empresas da família após a morte de seu pai, e decide acompanhar de perto as ações de um projeto científico que desenvolve pesquisas de viagens no tempo, patrocinado pelo pai. Porém, visando unicamente a obtenção de lucros nos investimentos, ele exige que a equipe responsável pelo laboratório apresente resultados positivos urgentes, com a ameaça de suspensão das verbas e o consequente encerramento do projeto, substituindo-o por fabricação de armas. A equipe é formada pelos cientistas Dr. Gordon (o veterano Abraham Sofaer), e o jovem casal de namorados Mark Manning (Anthony Eisley, um ator com rosto conhecido em várias séries de TV dos anos 60 e em filmes tranqueiras como “A Mulher Vespa”, 1960 e “Os Monstros da Noite”, 1966) e a bela Karen White (Gigi Perreau).

O projeto é dividido nas Fases A (volta ao passado) e B (viagem ao futuro). Sob forte pressão, os três cientistas, juntamente com o indesejável Stanton, se lançam numa cápsula do tempo para 5.000 anos no futuro (ano 6968), e encontram o mundo numa guerra nuclear contra alienígenas, que procuram um planeta apropriado para se instalarem, e estão fazendo reparos em sua gigantesca nave espacial, enquanto são atacados pelos humanos, interessados em suas armas e tecnologia avançada. O líder dos alienígenas é interpretado por Lyle Waggoner, sob o comando principal da Conselheira Vina (Poupée Gamin). Após um confronto mortal com os humanos, armados com pistolas futuristas de raios, os cientistas do século XX conseguem escapar e a cápsula retorna no tempo para um milhão de anos no passado, indo parar dessa vez num mundo pré-histórico habitado por dinossauros gigantescos.
Paralelamente, enquanto os cientistas tentam voltar ao seu tempo normal, no laboratório central, outros profissionais da ciência tentam auxiliar no processo rastreando o paradeiro dos viajantes do tempo. São os jovens Dave (Andy Davis) e Susan (Tracy Olsen), sempre observados de perto pelo Sr. Denning (Austin Green), um representante das empresas de Stanton e amigo particular do falecido patrocinador do projeto.
Após diversas aventuras em fantásticas viagens no tempo, com direito a encontros com alienígenas humanóides prateados, perigosas cavernas vulcânicas repletas de pedras preciosas e dinossauros assassinos, o grupo de cientistas tenta retornar ao ano de 1968, reservando ainda surpresas num desfecho pessimista.

A despeito da produção paupérima e do roteiro simples, “Jornada ao Centro do Tempo” é um filme de ficção científica bagaceira que certamente garante a diversão desde que o espectador entre no clima de pura fantasia e desconsidere os defeitos, falhas na história e a overdose de clichês. Sendo um filme de FC dos anos 60 do século passado, temos o típico laboratório científico com cores exageradas cheio de luzes piscantes, botões para todos os lados, mostradores analógicos, interruptores, fitas magnéticas e computadores imensos.
O tema do tempo como quarta dimensão e as viagens temporais é sempre muito interessante, e também difícil de ser tratado pela produção de um filme, com as óbvias dificuldades orçamentárias em se retratar um ambiente futurista ou mesmo algo no passado, principalmente para a tecnologia do cinema de meio século atrás. Assim como em outros filmes como “O Mundo Perdido” (The Lost World, 1960), aqui o dinossauro também é um lagarto de “pet shop” filmado sob uma perspectiva que o torna um animal gigantesco e aterrador. Como na maioria dos filmes desse período de ouro do cinema fantastico, o roteiro se preocupa em mostrar a bestialidade da raça humana sempre envolta em guerras, desde sua origem com conflitos primitivos até num futuro longínquo, às voltas com guerras mais tecnológicas contra seres invasores vindos de outros planetas. Mas, sempre enfocando a violência, tirania e luta pelo poder e liberdade como focos de nossa existência como espécie
Jornada ao Centro do Tempo” é altamente recomendável para os apreciadores do divertido cinema bagaceiro de Ficção Científica das décadas de 1950 e 1960, e que está na lista das sugestões dentro do sub-gênero de viagens no tempo, ao lado de outras pérolas como “A Máquina do Tempo” (The Time Machine, 1960), “Além da Barreira do Tempo” (Beyond the Time Barrier, 1960), “Passagem Para o Futuro” (The Time Travelers, 1964), “A Guerra dos Daleks” (Dr. Who and the Daleks, 1965), a série de TV “O Túnel do Tempo” (The Time Tunnel, 1966), a franquia “O Planeta dos Macacos” (1967), “Degraus Para o Passado” (Time Travelers, 1976), a trilogia dos anos 80 “De Volta Para o Futuro” (Back to the Future), e outros.
SCREENSHOTS