segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

DOUBLE INDEMNITY aka PACTO DE SANGUE- 1944


SINOPSE:

Em 1938, o corretor de seguros Walter Neff (Fred MacMurray) conhece a bela e sedutora esposa de um de seus clientes, a Sra. Phyllis Dietrickson (Barbara Stanwyck), e os dois acabam tendo um caso. Phyllis quer se livrar do marido e ainda ganhar alguma coisa com isso. Walter Neff elabora um plano para que o Sr. Dietrichson (Tom Powers) adquira um seguro contra acidentes pessoais com uma cláusula de double indemnity (indenização em dobro). Quando o Sr. Dietrichson é encontrado morto, a polícia investiga e diz que foi um acidente. Mas nem tudo sairá como planejado pois Barton Keyes (Edward G. Robinson), o analista de seguros da companhia e melhor amigo de Walter Neff, não acredita na história da morte acidental e começa sua própria investigação.


DIREÇÃO:

Billy Wilder

ELENCO:

Fred MacMurray .......... Walter Neff
Barbara Stanwyck .......... Phyllis Dietrichson
Edward G. Robinson .......... Barton Keyes
Porter Hall .......... Mr. Jackson
Jean Heather .......... Lola Dietrichson
Tom Powers .......... Mr. Dietrichson
Byron Barr .......... Nino Zachetti
Richard Gaines .......... Edward S. Norton, Jr.
Fortunio Bonanova .......... Sam Garlopis
John Philliber .......... Joe Peters






Gênero: Crime, Drama, Film Noir
Formato: mkv
Tamanho do arquivo: 4,37 GB
Duração: 1h 47min
Cor: Preto e Branco
Proporção da imagem: 4:3 (944x720)
País de origem: EUA
Idioma: inglês
Legendas: português (srt, na pasta)

Link para download (por torrent)

senha p/ descompactar

Legendas:
OpenSubtitles




COMENTÁRIOS
por CARLOS SOLRAC

DOUBLE INDEMNITY [Pacto de Sangue], lançado em 1944, é um filme norte-americano do gênero crime, drama e film noir. Foi dirigido por Billy Wilder e estrelado por Fred MacMurray (1908 – 1991), Barbara Stanwyck (1907 - 1990) e Edward G. Robinson (1893 - 1973). O roteiro foi escrito por Billy Wilder e Raymond Chandler, baseado no romance policial de mesmo nome escrito por James M. Cain em 1935.

O objetivo desses comentários não é contar o que vai acontecer nem fazer uma análise minuciosa desse filme, mas apenas tentar ajudar a entender um pouco melhor essa estória e esclarecer alguns pontos que talvez poderiam passar despercebidos.



O filme começa quase pelo final e boa parte da estória é contada em flashbacks pela “voz em off” de Walter Neff (Fred MacMurray), um corretor de seguros da Companhia Seguradora “Pacific All Risk”. Observe que no gravador que ele usa para deixar registrado tudo o que aconteceu, a sua voz é gravada em cilindros e não em rolo de fita magnética.

O título em inglês pode parecer estranho à primeira vista, mas “double indemnity” é o nome que se dá a uma cláusula de um seguro contra acidentes pessoais onde o beneficiário recebe em dobro o valor estipulado em contrato no caso da morte do segurado acontecer devido a um evento específico previsto na apólice. Pode parecer que a companhia de seguros está sendo boazinha mas normalmente é algo que, segundo as estatísticas, muito dificilmente acontecerá


Ao visitar a casa de um cliente a respeito de uma apólice de seguros que já havia vencido, mas que ainda poderia ser renovada, o corretor de seguros Walter Neff vê pela primeira vez a bela Sra. Phyllis Dietrichson (Barbara Stanwyck). Ela surge por detrás da balaustrada de ferro no final da escadaria que leva ao segundo piso da casa. Estava usando uma toalha de banho enrolada em seu corpo, o que deixava à mostra parte de seu torso e também suas pernas até um pouquinho acima dos joelhos. E da maneira como a Sra. Phyllis foi mostrada, de baixo para cima, na visão de Walter Neff ela mais parecia uma deusa grega vestindo uma singela túnica.

E pode apostar que Walter Neff gostou do que viu. Tanto que ao comentar sobre o seguro, ele diz que detestaria vê-la com um para-lama amassado. Quando a Sra. Phyllis conta que tinha acabado de tomar um banho de sol, ele logo pergunta: “No pigeons around, I hope” (Sem pombos por perto, espero). Pode ter certeza que ele não estava nem um pouco interessado em pombos. Esse foi apenas um jeito sutil de perguntar se ela estava ou não acompanhada (por algum outro homem, é claro, já que seu marido não estava em casa).

Um pouco depois, ao confirmar para a Sra. Phyllis que o nome dele é Neff, faz questão de destacar que é com dois “efes”, como em “Philadelphia”, se é que ela conhecia a estória. A isca havia sido jogada. Ela pergunta “que estória?”, e ele responde: “The Philadelphia Story”. Lembre-se que DOUBLE INDEMNITY foi lançado em 1944 e naquela época certamente grande parte do público já havia assistido THE PHILADELPHIA STORY (George Cukor, 1940) [Núpcias de Escândalo], estrelado por Cary Grant, Katharine Hepburn e James Stewart. E mesmo sabendo que Philadelphia não se escreve com “f”, o público deve ter entendido muito bem o que ele quis dizer. E para quem ainda não assistiu THE PHILADELPHIA STORY, digamos que seja algo do tipo: desça desse “pedestal” e fique com um homem que realmente te dê valor. E pela cara que ela fez, também deve ter entendido muito bem o que Walter Neff quis dizer.

Na hora da despedida eles começam uma estranha conversa, cheia de segundas intenções, sobre limites de velocidade e multas de trânsito. E depois, mesmo que o assunto aparentemente havia sido encerrado, Walter Neff deve ter percebido que, de algum modo, toda aquela conversa ainda estava longe de ter acabado.


Dois dias depois, a Sra. Phyllis conta ao Sr. Neff que seu marido trabalhava em campos de petróleo e que ficava preocupada por ele não ter um seguro contra acidentes pessoais. E Walter Neff, já desconfiado com os rumos daquela conversa, pergunta: “You mean some dark night a crown block might fall on him?” e que nas legendas foi simplificado para “Acha que numa noite escura um "bloco" pode cair sobre ele?”. Na verdade, o tal do “crown block” a que ele se refere é um equipamento que em português é chamado de “bloco de coroamento”. Veja um exemplo e uma explicação do que se trata na figura abaixo.



Algo que chama a atenção no apartamento de Neff é que a porta de entrada abre para o lado de fora, e não para o lado de dentro. Mas esse detalhe foi fundamental numa das cenas do filme.

No caso do seguro, é mencionado um valor de 50 mil dólares em caso de morte e o dobro, 100 mil dólares, em caso de “double indemnity”. Esses valores são referentes ao ano de 1938. Fazendo a atualização monetária (até o ano de 2016) e arredondando os valores, seria o equivalente a U$ 850.000 e U$ 1.700.000, aproximadamente.

Walter Neff mencionará também algo sobre “as Parcas que dizem olhar por nós” (... those Fates they say watch over you ...). Para quem ainda não sabe, ou não se recorda, as Parcas são três deusas da mitologia romana que controlam o destino dos mortais. Se desejar saber um pouco mais sobre esse assunto, consulte o link da wikipedia indicado a seguir:

O filme THE PHILADELPHIA STORY (1940) é uma comédia romântica baseada na peça teatral de mesmo nome, escrita por Philip Barry, e que ficou em cartaz no Shubert Theatre, na cidade de Nova Iorque, de 28 de março de 1939 até 30 de março de 1940. Quem prestar atenção a DOUBLE INDEMNITY notará que fizeram uma confusão com todas essas datas. Logo no começo do filme Walter Neff nos dá um local e data precisos: Los Angeles, 16 de julho de 1938 (e por coincidência Barbara Stanwyck nasceu num 16 de julho). Como ele poderia ter assistido a “The Philadelphia Story” ou mesmo a essa peça se ambos ainda não haviam sido lançados? Mas não deixe que um pequeno detalhe como esse estrague um ótimo filme.

Segundo o IMDb, na versão original, DOUBLE INDEMNITY continuava onde o que temos agora disponível acaba. Mas o diretor decidiu que o material adicional era redundante e deprimente, e por isso foi cortado da versão exibida nos cinemas. Todas as cenas adicionais foram perdidas.

A trama de DOUBLE INDEMNITY, foi baseada num crime real ocorrido em 20 de março 1927 na cidade de Nova Iorque. Ruth Snyder, uma mulher casada que vivia na região do Queens convenceu o seu amante, Henry Judd Gray, a assassinar o marido dela, Albert Snyder, depois que ele fez uma apólice de seguro com uma cláusula de indenização em dobro (double indemnity). Ruth Snyder e Henry Judd Gray encenaram um roubo seguido de um assassinato violento para receber o dinheiro do seguro, mas foram presos após uma investigação policial. Ambos foram condenados à morte em 13 de maio 1927 e executados numa cadeira elétrica na prisão de Sing Sing em 12 janeiro de 1928.

Ruth Snyder era loira e na época do crime foi chamada, entre outros termos, de “Fiend Wife” (a esposa demônio) e “Blonde Fiend” (a diaba loira).

Para maiores detalhes consulte os links indicados abaixo (texto em inglês):

A peruca loira que Barbara Stanwyck usou durante todo o filme foi ideia de Billy Wilder. Depois de um mês de filmagens Wilder achou que não tinha ficado bom, mas já era tarde demais para filmar todas aquelas cenas novamente. Mais tarde, Wilder alegou que aquela peruca foi para que sua Phyllis Dietrichson parecesse verdadeiramente uma ordinária.

E realmente, Phyllis era tão falsa quanto o cabelo falso que usava.


Você não pode se livrar de um assassinato com um beijo!

Um fantástico drama da Paramount
sobre uma paixão diabólica e um crime quase perfeito

Fred Macmurray e Barbara Stanwyck já haviam atuado juntos anteriormente em REMEMBER THE NIGHT (1940) [Lembra-se daquela Noite?]. Doze anos depois de DOUBLE INDEMNITY (1944) voltaram a atuar juntos em THERE’S ALWAYS TOMORROW (1956) [Chamas que Não se Apagam].

Logo abaixo vemos a capa de uma das edições de três famosas obras de James Mallahan Cain que foram adaptadas para as telas dos cinemas.



Double Indemnity foi escrito por James M. Cain em 1935 e publicada pela primeira vez de forma serial em oito edições consecutivas da revista semanal americana Liberty, de 15 de fevereiro a 04 de abril de 1936. A primeira publicação no formato de livro foi feita em 1943, apenas um ano antes de ser adaptada para as telas dos cinemas.

A casa que serviu como locação externa para a residência do Sr. e Sra. Dietrichson em Double Indemnity ainda existe. O endereço é 6301 Quebec Drive, Los Angeles, CA 90068.

Residência do Sr. e Sra. Dietrichson,
em Double Indemnity (1944)


Foto recente da casa usada como locação externa
da residência do Sr. e Sra. Dietrichson em Double Indemnity (1944)
6301 Quebec Drive, Hollywood Hills, Los Angeles, California, USA
Imagem do “Google Street View” (Maio 2016)
Visite o local: https://goo.gl/CT1JBo


SCREENSHOTS


2 comentários:

  1. A cada postagem, o Space Monster se supera cada vez mais. Agora, com este Pacto de Sangue, selou de vez o título do melhor blog de filmes do Brasil. Este filme é para ser visto e re visto incontáveis vezes. Uma verdadeira obra prima do gênero noir. Parabéns mais uma vez. Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sergio todos os colaboradores do Space Monster agradecem , o responsável por este post foi o Carlos Solrac, aqui vai um link com todos os filmes NOIR postados no blog
      http://cinespacemonster.blogspot.com.br/search/label/NOIR

      Valeu Sergio !

      Excluir

Para os que comentam anônimos, por não serem membros, pedimos que coloquem seus nomes ou apelidos no final ou inicío da mensagem