quinta-feira, 28 de março de 2019

REPTILICUS - VERSÕES DINAMARQUESA E AMERICANA (1961)

POSTADO ORIGINALMENTE EM 11/11/2010 POR CARTWRIGHT


SINOPSE: Ao fazer escavações num depósito de cobre, mineiros descobrem ossos e peles ensanguentadas de algum estranho animal. Cientistas dinamarqueses os analisam e acabam levando os fósseis para o Aquário Municipal de Copenhague, onde congelam a maior parte do animal pré-histórico, mas sua cauda demonstra se regenerar tal qual fazem répteis e alguns animais que recuperam todo o corpo a partir de um pedaço dele. Mas dessa vez, uma enorme criatura vai se desenvolver e aterrorizar toda a cidade de Copenhague, causando morte e desespero aos seus habitantes e desafiando as forças armadas para um combate mortal.

DIREÇÃO:
Poul Bang/Sid Pink

ELENCO:
Asbjörn Andersen......................Professor Martens
Ann Smyrner............................Lise Martens
Mimi Heinrich..........................Karen Martens
Carl Ottosen............................General Mark Grayson
Bent Mejding...........................Svend Alstrup
Bodil Miller/Marlies Behrens........Connie Miller
Poul Wöldike...........................Doutor Dalby
Dirch Passer............................Mikkelsen
Mogens Brandt.........................Chefe de Polícia
Ole Wisborg............................Capitão Brandt


OBSERVAÇÃO 1: Os dados à esquerda se referem a versão dinamarquesa do filme, e os à direita da americana.

Formato: DVD-Rip/MP4
Tamanho do arquivo: 740MB/487MB
Duração: 1h32min/1h21min
Proporção da imagem: 4:3 (714X556/512X368)
Países de origem: Dinamarca/EUA
Idioma: Dinamarquês/Inglês
Legendas: Português (Embutidas no arquivo e traduzidas por Major)


LINKS DOS FILMES NO MEGA:

Senha para descompactar:
cinespacemonster.blogspot.com.br


OBSERVAÇÃO 2: A versão dinamarquesa foi compactada e dividida usando a extensão “7-Zip”, caso não consiga extrair com o WinRAR ou o WinZIP basta usar o 7-Zip Portable, que além de ser leve, não precisa ser instalado.

COMENTÁRIOS DE CARTWRIGHT:
As raposas de bilheteria, Samuel Z. Arkoff e James H. Nicholson, proprietários da American International, sempre trabalharam com o mercado europeu e asiático, trazendo alguns desses filmes para o circuito americano, sempre dublando e criando um remake com a introdução de outros artistas, tornando assim o produto final como da indústria de cinema dos Estados Unidos. Reptilicus foi o primeiro e único monstro dinamarquês do cinema de seu país, dirigido lá por Poul Bang e refeito com quase todos os mesmos atores, obrigados a falar em inglês, mas que acabaram dublados, pois Arkoff achou o sotaque cantado deles capaz de provocar chacota nas salas de exibição do país. Tanto que uma das atrizes, Bodil Miller foi substituída por Marlies Behrens, já que a primeira não sabia falar inglês. Sid Pink dirigiu essa versão.


A mesma cena com duas atrizes diferentes


O Roteirista Ib Melchior

Também convidaram a atriz Norah Hayden (De “Angry Red Planet” de 1960) para o papel de Lise, filha do Doutor Martens, mas ao perceber que iria fazer um papel secundário, desistiu.
Outra mudança do filme dinamarquês para a versão americana, é que a criatura voava, mas os executivos da AIP acharam os efeitos extremamente ridículos e retiraram essas cenas da versão americanizada, mas acrescentaram uma gosma verde lançada pela boca do monstro que queimava as vítimas.


O réptil voador só foi visto na versão dinamarquesa


Há também uma cena musical com o maior comediante dinamarquês, o famoso Dirch Passer, que canta e dança com crianças, mas não foi usada na versão americana por acharem que fugia completamente do clima do filme. Na verdade, Reptilicus chegou a ser chamado na Dinamarca de "Dirch and the Dragon" tamanha a popularidade do comediante que faz o papel de Mikkelsen.


Dirch Passer na cena que foi removida da versão americana


Uma grande parte dos atores deste filme atuariam em "Viagem ao Sétimo Planeta" do mesmo Sid Pink, no ano seguinte. Sid (Que nasceu em Pittsburgh) e seu fiel parceiro dinamarquês Ib Melchior ficaram famosos por formarem uma dupla de ouro ao realizarem o psicodélico e fantástico “Angry Red Planet”, em que Sid Pink produziu o efeito CineMagic com uma tonalidade rosada nas cenas do Planeta Marte.
Sid foi o primeiro produtor a introduzir filmes 3-D com os famosos óculos de duas cores no filme “Bwana Devil” de 1952 (Que teve um remake com o nome de “A Sombra e a Escuridão” em 1996). Também foi o descobridor de Dustin Hoffman, lançando ele num filme italiano que produziu, chamado “Un dollaro per 7 vigliacchi” de 1968. Sidney Pink faleceu aos 86 anos na Flórida.


Sidney W. Pink


Montagem de uma cena com o réptil durante as filmagens


Como os recursos de efeitos eram precários, algumas cenas se tornaram famosas, como a da versão americana, onde um fazendeiro é engolido pela criatura.
Na verdade como a boca do Reptilicus era de um formato menor que o tamanho do adulto, o filho de dez anos de Ib Melchior, vestiu a roupa do figurante para que a cena fosse montada do jeito que saiu.
Uma outra curiosidade de Reptilicus é que a ajuda de custo feita pelo governo dinamarquês exigiu que se fizesse um merchandise da cidade para o turismo, então tornaram o personagem do General Grayson mal-humorado, até que ele visitou as atrações turísticas do país (Algo que ficou mais destacado na versão americana que na dinamarquesa), passando por castelos, fontes, pontes, praças, e parques, terminando num jantar no Tivoli, tornando o seu personagem mais simpático, a partir daí.


Um passeio por Copenhague com direito a tomar uma cuspidinha do Reptílicus


Repitilicus foi um cult para colecionadores do mundo inteiro, desde miniaturas, gibis, convenções de fãs, camisetas,”souvenirs” de todo o tipo e até hoje ainda é reverenciado como um dos maiores “trash-monsters” do cinema.


O gibi lançado na época, que depois mudou para Reptissaurus com várias edições publicadas

Souvenir miniatura do dragão dinamarquês


O DVD foi lançado em duas versões, a dinamarquesa com destaque para Dirch Passer e a versão norte-americana.

A versão dinamarquesa

A versão do mercado americano


Em 1961, o filme com a versão em inglês, rendeu uma grande bolada para os donos da American, que não perdiam a viagem no que faziam. A intenção da AIP era aproveitar o sucesso causado pelos monstros japoneses de Eiji Tsuburaya, anunciando Reptilicus como uma resposta a Godzilla e Rodan, mas acabou comparado ao “The Giant Claw” de 1957 de Sam Katzman, pela crítica revoltada.


Capa do lançamento em Super-8, um recorde de vendas na época


É um filme com todo aquele nostálgico e refrescante clima sci-fi dos anos dourados, dos cine drive-ins e das sessões duplas nas matinês, em que a garotada fazia a escandalosa barulheira habitual.


SCREENSHOTS DA VERSÃO DINAMARQUESA:








SCREENSHOTS DA VERSÃO AMERICANA:







7 comentários:

  1. Muito obrigado, fui eu que pedi, sempre quis ver esse filme.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo ótimo trabalho. E uma pequena dúvida: baixei duas partes e a terceira foi bloqueada pelos mendigos do Mega, tentando impingir uma assinatura (exatamente o motivo de problemas com a Justiça dos EUA, mas parece que não aprenderam a lição).

    Quanto tempo leva até terminar o embargo?

    ResponderExcluir
  3. Olha Celso, se eu fosse você usaria algum gerenciador de downloads. Eu uso o FreeRapid Downloader e não ando tendo esses problemas não.

    ResponderExcluir
  4. HAHAHA mendigos do Mega, cara não tem como não rir nos comentários, mas é bem isso mesmo, quanto ao filme, conheci muita gente que já faleceu e nunca viu esse filme por aqui no País da banalândia Rssss. Ótimo Post. (Rinaldo-JAÚ-SP)

    ResponderExcluir
  5. Obrigado mais uma vez Rinaldo, um grande abraço!

    ResponderExcluir

Para os que comentam anônimos, por não serem membros, pedimos que coloquem seus nomes ou apelidos no final ou inicío da mensagem